"Doces Palavras" (1991/93) - Fatos&Fotos

Em julho de 1991 iniciou-se a produção do disco "Doces Palavras", Fafá entraria em estúdio na segunda quinzena do mês de setembro. Enquanto isso, o disco "Fafá 89" ainda trazia alegrias para a cantora, que no mês de agosto daquele ano, recebeu o troféu "Os Melhores da Parada Popular da Rádio Globo".

A relação da artista com sua gravadora também estava meio complicada. O disco "Fafá 89" em espanhol, cuja previsão era de ser lançado no mês de maio, fora adiada e a gravadora não deu uma previsão precisa de quando esse lançamento ocorreria (no fim, ficou na gaveta da BMG). Além disso, por conta do sucesso de "Nuvem de Lágrimas", a BMG exigia que Fafá gravasse 04 faixas com o gênero sertanejo. Fafá havia escolhido duas ("Aguas Passadas" e "Coração Xonado), e não estava disposta a gravar mais que isso, não pretendia ser uma cantora sertaneja. Queria o gênero presente, mas não como a gravadora queria. Esse embate deixou a cantora contrariada, mas no final, foi como ela quis, duas faixas.

Como se não bastasse, o juiz Sebastião Fagundes de Deus, da 3ª Vara Federal de Brasília, deu ganho de causa a uma ação movida pelo advogado Jorge Beja, ação esta, que proibia Fafá de cantar o "Hino Nacional Brasileiro" na versão gravada pela cantora. Fafá, claro, nem deu confiança para a sentença. Continuou a cantar o Hino. A sentença era tão absurda, que nem tinha como prende-la.

Apesar de tudo, "Doces Palavras" seria um sucesso de público e a cantora ainda gravaria com Roberto Carlos. Somente Maria Bethânia havia gravado com o "Rei". Como Fafá mesmo diz: "Vem pica-pau que eu sou aroeira".

No dia 30/08/1991 o juiz Sebastião Fagundes de Deus, da 3º Vara Federal de Brasília, dá ganho de causa a uma ação movida pelo advogado Jorge Beja, ação esta, que visava a proibição da execução da versão do "Hino Nacional Brasileiro" gravado por Fafá de Belém. O advogado argumentou que tal gravação era um "abastardamento do hino pátrio". Fafá estava, portanto, proibida de cantar o Hino na versão gravada por ela. Mas a cantora nunca acatou esta proibição absurda e continuou e continua, até os dias de hoje, nos encantando com sua brilhante interpretação dada ao nosso Hino.

No final do mês de setembro de 1991, Fafá entrou em estúdio para gravar as 15 faixas de seu novo disco "Doces Palavras".

Curiosidades: 

Para a faixa "Águas Passadas" (Paulo Debétio/Paulinho Rezende), a cantora havia convidado a dupla "Leandro e Leonardo" para fazer a participação especial. Ocorre que o novo disco deles havia estourado nas paradas e com isso a agenda da dupla não tinha espaço para que eles pudessem participar. Foi quando alguém da produção falou com a Fafá sobre uma dupla que ele considerava muito boa, que havia lançado um disco em abril, mas que ainda não haviam estourado no eixo Rio-São Paulo. Fafá pediu então para ouvir o trabalho dessa dupla e ao ouvir, Fafá adorou e aprovou. A dupla era "Zezé de Camargo e Luciano" (foto). A gravação de "Águas Passadas" foi feita no início do mês de outubro e, curiosamente, o disco da dupla aparece pela primeira vez na lista dos mais vendidos na categoria sertanejo, publicado no jornal "O Estado de São Paulo" em 29/10/1991.

Durante as gravações do disco "Doces Palavras", Fafá recebeu uma ligação de Roberto Carlos. O "Rei" a convidou para participar de uma gravação do seu novo disco, claro que Fafá topou na hora e assim, juntos, gravaram o grande sucesso "Se você quer".


Na primeira semana do mês de novembro de 1991, chegava às lojas "Doces Palavras", 13º disco de carreira de Fafá de Belém e segundo pela BMG/Ariola.

De tanto chamarem a cantora de "brega", Fafá, como ela mesmo diz, resolveu "afundar o pé na jaca" e pela primeira vez gravou músicas genuinamente brega ("Mula Capenga" (Gallileu Arruda) e "Tô Carente" (Ed Wilson/Solange de César).

Tais gravações não comprometeram a qualidade do disco, que, embora tivesse uma qualidade musical um pouco inferior ao do disco anterior, compensava pela entrega da cantora. Voz e interpretação impecável, arrebatadora.

"Águas Passadas" (Paulo Debetio/Paulinho Rezende), que contou com a participação da dupla Zezé de Camargo e Luciano, e "Coração Xonado" (César Augusto/César Rossini) foram os grandes sucessos do disco, que chegou a marca das 500 mil cópias vendidas. Fafá de Belém, mesmo com a torcida contra de alguns, era a maior cantora brasileira

Fafá de Belém - "Doces Palavras" - Capa

Fafá de Belém - "Doces Palavras" - Contracapa

Encarte: Pôster e Fotos

Encarte: Músicas, Autores e Ficha Técnica do disco

Imprensa

Com a música "Amor da Minha Vida" (Michael Sullivan/Paulo Massadas), Fafá dá início aos trabalhos de "Doces Palavras". 

De 08 a 17/11/1991, Fafá fez o lançamento oficial de "Doces Palavras". O show aconteceu em São Paulo, na badaladíssima casa de espetáculos "Palladium". 



Foto de Fundo: Marcelo Cal

No final do mês de novembro de 1991, chegava às lojas o novo disco de Roberto Carlos. Fafá de Belém faz uma participação especial no disco, onde canta em duo com o "Rei", a música "Se Você Quer" (Si Piensas... Si Quieres - Música de: Roberto Livi/Alejandro Vazzani adaptada para o português em uma parceria entre Roberto Carlos e Carlos Colla). Assista ao clipe exibido pelo "Fantástico":

No dia 18/12/1991, foi ao ar, pela Rede Record, o "Especial Zezé de Camargo e Luciano". Fafá esteve presente e junto com a dupla, cantou "Águas Passadas" (Paulo Debétio/Paulinho Rezende). Assista:

No dia 22/12/1991, foi ao ar o "Troféu Paradão 1991", uma homenagem de Xuxa aos cantores que fizeram mais sucesso entre o público infantil naquele ano. Fafá foi uma das premiadas. Assista:

No dia 25/12/1991 foi exibido pela Rede Globo de Televisão, o "Especial Roberto Carlos 91". Fafá de Belém marcou presença cantando seu mais recente sucesso "Amor da Minha Vida" e com o "Rei" cantou "Se Você Quer". Assista:

Fotos/Imprensa:

No dia 06/01/1992, estreou, pela Rede Globo de Televisão, no horário das 20hr, a novela "Pedra Sobre Pedra". A música "Um Homem Que Amei", gravada por Fafá de Belém, entrou na trilha do folhetim e era o tema da personagem Pilar, vivida pela atriz Renata Sorrah (Foto de fundo). Ouça:

No início de fevereiro de 1991, Fafá foi para Portugal. Lá, lançou seu disco "Doces Palavras", fez o carnaval do "Casino Estoril", se apresentou em vários programas de TV. Em um desses programas, o do Júlio Isidro, a cantora recebeu o disco de ouro pelas vendagens de "Doces Palavras" em Portugal. Abaixo, veja alguns desses momentos:

Entrevista para a "Rádio Cidade" portuguesa, partes 1 e 2(final):

Abaixo:Ainda em Portugal, cantando "Coração Xonado" no programa do Júlio Izidro, onde ganhou o disco ouro.  Ao lado, uma "fofoca portuguesa com certeza" da revista "Nova Gente Portugal". 

Enquanto Fafá trabalhava em Portugal, nas praias cariocas um novo boato sobre sua saúde ia ganhando força. Diziam as más línguas, que a cantora estava com câncer, leucemia e até HIV. 

Revista "Sabadão Sertanejo" - Nº 04 - 27/02/1992 - Reportagem de: Mara Magaña.

No "Troféu Rádio Globo 1992", que premiava os melhores de 1991, Fafá de Belém, pelo segundo ano consecutivo, ganhou o prêmio de melhor cantora!

No final do mês de março de 1992. Fafá de Belém voltou para Portugal, onde já tinha shows agendados. No final da primeira quinzena de abril, já estava de volta ao Brasil e concedeu uma pequena entrevista para o jornal "O Globo", onde falava do seu sucesso em terra lusitana. 

No dia 17/05/1992. O "Programa Silvio Santos" (SBT) apresentou a edição 1992 do "Troféu Imprensa 1992", no qual elegia os melhores de 1991. Na categoria melhor cantora, concorreram: Fafá de Belém, Marina e Marisa Monte. Marina e Marisa Monte obtiveram 03 votos cada. Fafá de Belém obteve 5 votos dos jurados, sendo assim, Fafá foi eleita a melhor cantora do ano de 1991. Assista a alguns trechos da votação:

No dia 05/06/1992, Fafá de Belém estreava seu show "Doces Palavras" no Imperator (RJ). O show ficou em cartaz até o dia 14/06. Voltou dia 26 e encerrou no dia 28/06/1991. 

Imprensa

Na "Terça Nobre" do dia 14/07/1992, exibido pela Rede Globo", era o quarto episódio das "Aventuras de Leandro e Leonardo", Fafá de Belém era uma das convidadas. No vídeo abaixo é a primeira cena em que a cantora aparece, fazendo um show em um rodeio, cantando "Águas Passadas". Fafá também aparece em uma outra cena (Esse vídeo não tem na rede). Nessa outra cena, a cantora está em casa, já é noite. Veste um robe branco e, sensualizando, canta "Tô Carente". A dupla sertaneja invade a casa e fica admirando, escondidos atrás da porta, as curvas da diva paraense. A cantora percebe então que está sendo vigiada e começa a gritar pela polícia. A dupla assustada, foge.

O assunto daquele julho de 1992 foi a assinatura do contrato de Fafá com a Sony Music. Como já disse anteriormente, a cantora ficou bem chateada com o engavetamento do "Fafá 89" em espanhol, esse foi um dos motivos. Abaixo, duas notícias e uma fofoca sobre o assunto. Nem Júlio Iglesias foi poupado!

Na "Terça Nobre" do dia 04/08/1992, o especial era da dupla "Chitãozinho e Xororó". Fafá de Belém foi uma das convidadas da dupla e juntos cantaram "Gente Humilde". A apresentação de Fafá com a dupla, foi gravada no "Imperator" (RJ).

Os "Caras-Pintadas" foi o nome pelo qual ficou conhecido o movimento estudantil brasileiro realizado no decorrer do ano de 1992 que teve, como objetivo principal, o impeachment do presidente do Brasil na época, Fernando Collor de Mello. O movimento baseou-se nas denúncias de corrupção que pesaram contra o presidente e, ainda, em suas medidas econômicas impopulares, e contou com a adesão de milhares de jovens em todo o país. O nome "caras-pintadas" referiu-se à principal forma de expressão e símbolo do movimento: as cores verde e amarelo pintadas no rosto dos manifestantes. Fafá de Belém estava lá e emocionou o público ao cantar o "Hino Nacional Brasileiro", embora estivesse proibida de cantá-lo.

De 03 a 13/09/1992, Fafá de Belém estava em cartaz no "Canecão" (RJ) com o seu show "Doces Palavras". Como não poderia deixar de ser, o show teve uma conotação política. A cantora convocava o público presente a votar contra ou a favor do impeachment do então Presidente Fernando Collor. No encerramento do show, cantava o "proibido" Hino Nacional Brasileiro e "Alegria, Alegria" (Caetano Veloso). Enquanto cantava, um telão ao fundo do palco, projetava imagens das manifestações populares, que exigiam a saída do Presidente.

Imprensa

O produtor português Mário Martins, que fora produtor de Amália Rodrigues, tinha um grande desejo: produzir um disco de fados tenho um artista estrangeiro como interprete. Segundo entrevistas da própria Fafá, a cantora inicialmente escolhida para o projeto foi Gal Costa. Mas parece que as negociações entre Mário Martins e Gal Costa acabaram declinando.

O produtor então, solicitou uma pesquisa para ser feita com os portugueses: "Qual cantor (a) estrangeiro (a) você gostaria que gravasse um disco de fados, e qual você não gostaria? " Fafá de Belém foi o nome mais citado e ao mesmo tempo o nome menos rejeitado.

Após o resultado da pesquisa, Mário Soares entrou em contato com Fafá e perguntou-lhe se aceitaria participar deste projeto. Claro que Fafá topou na hora e na primeira semana de outubro de 1992, foi para Portugal. Ainda no mês de outubro, deram-se início às gravações de "Meu fado", primeiro projeto especial na carreira de Fafá.

Em outubro de 1992 chegava às lojas o CD "Nunca Mais Vou te Esquecer", uma homenagem póstuma ao cantor Altemar Dutra, falecido e 1983. Através de um recurso tecnológico, foi possível que vários artistas pudessem fazer dueto com o cantor. A criação do projeto, bem como a produção executiva foi de César Augusto. A direção artística foi de Miguel Plopschi e a direção de voz de César Augusto e José Milton. Participaram dos duetos Fafá de Belém, Fagner, Ângela Maria, Cauby Peixoto, Moacyr Franco, Nelson Gonçalves, entre outros. Fafá gravou "Somos Iguais" (Evaldo Gouveia/Jair Amorim). Ouça:

Em 12/10/1992, morreu em um acidente aéreo de helicóptero, ao largo de Angra dos Reis, no Rio de Janeiro, o Deputado Ulysses Guimarães junto à esposa D. Mora, o ex-senador Severo Gomes, a esposa deste e o piloto. O corpo do "Dr. Diretas" nunca foi encontrado. Em matéria publicada pelo jornal "O Globo" de 14/10/1992, o jornalista Jorge Bastos Moreno afirmou que: "Foi para Fafá de Belém que o Deputado Ulysses Guimarães dedicou a última homenagem: Atribuiu a Fafá, em longa mensagem, a vitória do impeachment". Na ocasião do acidente, Fafá estava em Lisboa, onde gravava o disco "Meu Fado".

No final do mês de outubro de 1992, chegava às lojas o "Songbook Gilberto Gil", trabalho feito em 3 CDs, com a participação de mais de 50 grandes nomes da nossa música. No volume 1, Fafá de Belém, luxuosamente acompanhada por Wagner Tiso, interpretou "Preciso Aprender a Só Ser". Ouça:

Em dezembro de 1992, é lançado em Portugal, pela "BMG Portuguesa", o disco "Meu Fado" de Fafá de Belém. Aqui no Brasil, seria lançado em janeiro pela "Som Livre". Abaixo, foto da capa, contracapa e encarte do vinil de "Meu Fado" na versão portuguesa.

Ouça o disco:

No final do mês de janeiro de 1993, era lançado no Brasil, o disco "Meu Fado". A gravadora "Som Livre" que havia se especializado em trilhas e projetos especiais, comprou os direitos e o lançou. Parece que a gravadora, inicialmente, não acreditava muito que uma cantora popular, cantando um ritmo estrangeiro, pudesse fazer sucesso aqui no Brasil. A tiragem inicial foi de 50 mil cópias, pequena, em se tratando de Fafá de Belém.

A assessoria da cantora, representada na pessoa de Eulália Figueiredo, fez um competente plano de divulgação junto a jornais, revistas, rádio e TV. O resultado foi que, as 50 mil cópias iniciais se esgotaram em menos de uma semana e o disco, segundo algumas fontes, na ocasião do lançamento, chegou as 400 mil cópias vendidas. 

Abaixo, a versão brasileira do disco. (Capa, contracapa e encarte).

Encarte/ Ficha Técnica:

Imprensa

No dia 31/01/1993, o programa "Cara a Cara", apresentado pela jornalista Marília Gabriela, recebeu a cantora Fafá de Belém. Foi a melhor entrevista que já assisti com a Fafá. No programa, a cantora falou da carreira, da opção pelo popular, da dificuldade em se libertar das drogas e da carreira em Portugal. Eu tinha essa entrevista em VHS, mas infelizmente se deteriorou.

Em meados de fevereiro de 1993, Fafá de Belém regressou a Portugal para a divulgação de "Meu Fado". que já era disco de ouro, havia vendido cerca de 40 mil cópias. 

Abaixo, veja algumas das apresentações da cantora na TV. Portuguesa. Equivocadamente a pessoa que postou o vídeo, informa que o ano do mesmo é 1992, mas o correto é 1993.


Terminamos aqui, o período "Doces Palavras". Após o trabalho de divulgação de "Meu Fado", Fafá voltou para o Brasil questionando como seria seu próximo disco. A cantora havia assinado com a Sony Music, mas ainda devia um disco a BMG. Inicialmente havia planejado gravá-lo somente mais para o final daquele ano de 1993 e assim, poderia como maior tranquilidade, trabalhar "Meu fado", que ia muito bem nas vendagens. Porém, a Sony não concordou com esse projeto, afinal, a gravadora queria um disco dela o quanto antes. Assim sendo, em março de 1993 terminou o período "Doces Palavras", pois em abril do mesmo ano, começava a produção de "Do Fundo do Meu Coração". 

Texto Narrativo: Claudinei Sampaio

Seja um fã colaborador! Você tem uma matéria deste período e não está aqui? Faça um Scanner da matéria e envie para: contato@fafadebelemarquivo.com.br com o assunto "Material 1991". Seu nome será citado como doador(a) do material.

Voltar ao Topo - Início - Anos 1990 - Trajetória