"Essencial" - 1981/83 - "Fatos&Fotos"

A produção de "Essencial" iniciou-se em outubro de 1981. Fafá queria um trabalho diferente de tudo que havia feito até então. Queria um disco tranquilo, intimista, uma espécie de recital. Acreditava que César Camargo Mariano entenderia o conceito, como de fato entendeu, o maestro fez um trabalho impecável.

As bases foram gravadas entre novembro e dezembro de 1981, período em que Fafá colocou voz em duas faixas: "O Gosto da Vida" (Péricles Cavalcante) e "Essencial" (Joyce).

Nessa nova empreitada, a cantora teria que enfrentar a resistência de sua gravadora. A Polygram não acreditava na mudança e tão pouco novo trabalho de Fafá. Mas, como existia uma questão contratual, o trabalho foi realizado, porém, com um orçamento bastante enxuto.

Como veremos mais adiante, "Essencial" talvez seja o único disco, na história da indústria fonográfica, a ser boicotado pela própria gravadora.

Enquanto produzia e gravava seu próximo trabalho, a cantora se envolveu em uma polêmica devido ao não comparecimento em um show na cidade de Matão, interior de São Paulo. Em minhas pesquisas, não encontrei nenhuma publicação em que sua assessoria explicasse o ocorrido.

Fafá de Belém entrou em estúdio em janeiro de 1982, quando concluiu as gravações de "Essencial".


No dia 16 de Novembro de 1981, estreou, no horário das 18 horas, pela Rede Globo, a novela "Terras do Sem Fim". A música "Bicho Homem" (Milton Nascimento/Fernando Brant), gravada por Fafá de Belém, entra na trilha sonora da novela. 

No dia 20 de dezembro de 1981 a TVE Brasil transmitiu um especial com Fafá de Belém. O show está disponível no Youtube, em vídeos separados. Assista aqui a abertura:

Janeiro de 1982. Fafá de Belém entra em estúdio para concluir as gravações do disco "Essencial". Foi nessa ocasião em que Fafá recebeu uma música e um convite das compositoras Sônia Burnier e Sônia Hirsch. A música era "Caso Especial" e o convite era para que Fafá a defendesse a canção no "MPB Shell 1981", um festival de música promovido pela Rede Globo de Televisão. A cantora não só aceitou de pronto o convite como incluiu a música no repertório do disco.

"Essencial" que em princípio deveria chegar às lojas em março, sofreu um pequeno atraso, sendo lançado em maio de 1982.

No dia 19 de Janeiro de 1982, morre a cantora Elis Regina. A notícia de sua morte chocou o país e deixou a classe artística estarrecida.
Fafá de Belém ficou arrasada e compareceu ao velório da amiga. Uma nota na Folha de São Paulo diz que: "No velório de Elis Regina, a cantora Fafá de Belém estava inconsolável. Chorava muito, estava muito comovida e evitou fazer declarações" (Folha ilustrada - 21/01/1982)

No livro "Eles e Eu" - memórias de Ronaldo Bôscoli", ele conta um fato ocorrido entre ele e Fafá de Belém no dia da morte de Elis Regina:

"No dia da morte de Elis, encontrei Fafá de Belém numa boate. Estávamos numa espécie de histeria meio desesperada. Mas Fafá me disse corajosamente: "Ronaldo, vem comigo até o banheiro. Quero lhe mostrar uma coisa. - Começou mostrando um pacotinho e fazendo uma confissão - Eu sou uma das pessoas que cheiraram com a Elis. Estou aqui com três gramas de cocaína. Veja o que eu faço com esta merda!!". Eu vi e fiquei ainda mais fã da Fafá do que eu já era. Ela jogou a cocaína no vaso e puxou a descarga. Grande figura".  (Extraído do livro "Eles e Eu" - memórias de Ronaldo Bôscoli", de Luiz Carlos Maciel e Ângela Chaves, páginas 241 e 242, 2ª. Edição, 1994, editora Nova Fronteira).


No dia 31 de janeiro de 1982 foi ao ar, pelo programa "Fantástico", Rede Globo de Televisão, o clipe da música "O Gosto da Vida"(Péricles Cavalcante). Infelizmente esse clipe não está disponível na rede, mas assista a um trecho de uma apresentação de Fafá de Belém no "Globo de Ouro":

No Carnaval de 1982 (De 20 a 23/02/1982) Fafá de Belém foi a sensação da Escola de Samba "Unidos da Ilha do Governador" (Veja abaixo um trecho dela na avenida, com direito a "reboladinha"). Segundo matéria publicada pelo Jornal "O Estado de São Paulo" do dia 21/02/1982, Fafá também teria desfilado na "Imperatriz Leopoldinense". O Fato é que Fafá ferveu tanto, que teve um princípio de estafa na quarta-feira de cinzas!

Imprensa

No dia 09/03/1982, às 14hr na Sede Náutica do Clube de Regatas Vasco da Gama (RJ), começaram os ensaios para a primeira eliminatória do MPB-Shell edição 1982. Fafá de Belém iria defender a música "Caso Especial" (Sônia Burnier/Sônia Hirsch)". 

Na noite do dia 12/03/1982, foi ao ar, pela Rede Globo de Televisão, a primeira eliminatória do Festival MPB Shell - Edição 82. Fafá de Belém, com a música "Caso Especial", não foi classificada, mas, a cantora levou o prêmio de melhor interprete da noite.

Abaixo, a repercussão da apresentação de Fafá de Belém:

No dia 02/04/1982 o matinal "TV. Mulher" completava dois anos de sucesso absoluto. Para comemorar, o programa foi exibido ao vivo direto do Teatro Municipal do Rio de Janeiro e reuniu um grande número de artistas e personalidades. Fafá de Belém estava lá.




No dia 08 de abril de 1982 estreou, na Rede Bandeirantes de Televisão, a novela "Ninho da Serpente". O folhetim era exibido no horário das 20hr. A música "Bilhete" (Ivan Lins/Victor Martins), gravada por Fafá de Belém, entrou na trilha da novela.

No dia 04 de maio de 1982, aconteceu no Teatro Bandeirantes, em São Paulo, a gravação de mais um programa da série: "Viva a Música Popular Brasileira". O especial foi ao ar, pela TV. Bandeirantes, no dia 09 de maio daquele ano e era a continuação de uma série cuja estreia se deu em março. O musical era uma homenagem a 92 músicos brasileiros, que segundo 11 críticos especializados, haviam se destacado desde o começo do século. Fafá de Belém participou cantando "Atrás da Porta" (Francis Hime/Chico Buarque).

No dia 10 de maio de 1982, estreou na Rede Globo, no horário das 19 horas, a novela "Elas por Elas. A música "Cumplicidade" (Octávio Burnier/Junior), gravada por Fafá, entra na trilha sonora da novela. Ouça:

No final da primeira quinzena do mês de maio de 1982, chegava às lojas "Essencial" o 6º disco de Fafá de Belém.

Fafá de Belém - "Essencial" - 1982 - Capa

Fafá de Belém - "Essencial" - 1982 - Contracapa

É um disco clean! Tudo limpinho, tudo despojado. Cansei! Cansei de ser no palco um personagem que eu não era na vida. Cansei de deixar de lado a minha pessoa, o meu humor, essa coisa alegre que eu sou e também a cantora que eu sei que sou. Este disco é um recital de uma cantora. Tem gente que vai amar, tem gente que vai odiar, tem gente que vai me cobrar a imagem antiga. Paciência. Agora estou mais feliz!" (Depoimento de Fafá para o jornal O Globo - 23/05/1982)

Encarte (Músicas, músicos, letras e ficha técnica), Fita K7, compacto

Imprensa

Na noite do dia 21 de maio de 1982, Fafá resolveu fazer uma festinha em seu apartamento para comemorar a nova faze que se iniciava. "O Gosto da Vida" estava tocando bem nas rádios e seu disco "Essencial" acabara de chegar às lojas. Estava feliz, havia se livrado de tudo o que lhe causava angustia. Tudo? Não, ainda faltava algo, e isso aconteceria logo mais, nessa mesma noite.

Reuniu uns "amigos" e regada a muito som, bebida e drogas, a comemoração rolou solta. A festinha terminou por volta das 3 da madrugada. Quando todos foram embora, sentou-se um pouco no sofá, estava exausta. Uma súbita angustia lhe invadiu a alma, ficou ali, sentada, olhando o céu da cidade, absorta, em estado de completa letargia. Desde o nascimento da filha que Fafá passou a usar drogas com muita moderação, mas naquela noite havia exagerado e as lembranças do período do "Banho de Cheiro" vieram à mente. Foi interrompida dos seus pensamentos ao ouvir que a filha choramingava e foi até ao quarto, onde Mariana, que tinha pouco mais de 2 anos dormia. Olhou a filha com carinho, sentou-se ao lado da cama e a acariciou. Mariana voltou a dormir. Olhando a filha, começou a se perguntar que tipo de mãe ela estava sendo, que tipo de mãe ela queria ser.... Lembrou-se de Elis, da sua morte prematura, daquele encontro que tiveram naquela churrascaria em São Paulo e o que a amiga lhe tinha dito.

A angustia aumentava e a lágrimas brotavam... foi até o banheiro lavar o rosto, olhou-se no espelho e não se reconheceu. O rosto estava inchado, os olhos saltados, a expressão de dor estampada em sua face. Naquele momento estava tomando consciência de que para recomeçar de verdade, as drogas também teriam que sair da sua vida, só assim, poderia de fato recomeçar. Lembrou da conversa que tivera com o pai, meses atrás, em que foi passar uns dias em um sítio próximo a Belém, quando estava tão deprimida que pensava em até desistir da carreira, e que nessa conversa com seu pai lhe pediu que ela avaliasse melhor suas escolhas, que a vida era feita de escolhas e que temos que enfrentar suas consequências e não sucumbir.

Voltou para sala, se jogou no sofá, enquanto chorava de forma descontrolada. De imediato pensou em procurar ajuda especializada, ideia que descartou imediatamente. Ir para uma clínica seria um escândalo, sua carreira estava frágil, não caberia escândalos naquele momento, poderia ser fatal. O que fazer? Nada vinha-lhe à mente.

Começou a ter a sensação de que estava suja, a noite estava muito quente, e o suor lhe incomodava. Ainda chorando foi banhar-se. Sentou-se na banheira e ao se banhar, começou a se esfregar, cada vez com mais força, queria "limpar a sujeira" que havia em si. Esfregou-se com tanta violência, ao ponto de ferir a pele. Levantou-se da banheira decidida: aquela seria a última vez que consumiria drogas: "Entrei nessa sozinha, saio sozinha também!", pensou.

Vestiu um roupão e ainda com os cabelos molhados foi até a sala, pegou a agenda, separou meia dúzia de nomes em um caderno e em seguida queimou aquela lista maldita. Começava, finalmente, a compreender que o primeiro passo para se livrar das drogas era se livrando de algumas pessoas também.

Viu a dia clarear. Tinha que se recompor, havia uma entrevista marcada para o jornal "O Globo" logo mais. Ligou para sua secretária, Ana Sabugosa e lhe contou o ocorrido. Pediu que cancelasse o show que estrearia no próximo dia 26 no "Goldem Room" do Copacabana Palace. Precisaria de uns dias para se recompor.

Logo após a entrevista, embarcou para São Paulo. Ficou alguns dias confinada, reavaliando sua vida, sua carreira e o rumo que queria dar, onde ela queria chegar, que tipo de mãe queria ser. Nos primeiros dias, vieram as crises de abstinência. Houve uma bem violenta, Fafá conta que chegou ao ponto de se jogar contra a parede, mas, como se fosse um mantra dizia a si mesmo: "Não uso, não quero!".

As crises foram diminuindo. Ligou para sua agente e deu a ordem: "Vamos montar o show de lançamento, estou pronta!" Em acordo com a gravadora, mudou o lançamento de "Essencial" para São Paulo que aconteceu na boate Gallery no dia 16 de junho de 1982.

No dia 21 de junho de 1982, tem início a turnê "Essencial", no projeto popular "Seis e Meia" no Teatro João Caetano, no Rio de Janeiro.

E foi dessa forma que as drogas saíra de sua vida, para nunca mais voltar. Após esses acontecimentos, a cantora fixou residência na capital paulista.

(Esse texto foi desenvolvido a partir do depoimento que Fafá de Belém concedeu a Marília Gabriela, no programa "Cara a Cara" exibido pela Rede Bandeirantes em 1993. Na entrevista Fafá conta que esse fato havia ocorrido no dia 22 de abril, mas em minha pesquisa verifiquei que essa data não batia com os fatos, quem é fã da Fafá sabe que ela tem um problema com datas).

O cancelamento do show de estreia de "Essencial" foi para Fafá uma tremenda saia justa, afinal, desde que interrompeu a turnê do show "Crença", que sua relação com a Polygram não ia bem das pernas. Para ela, um afastamento complicado, já que não queria, e nem podia relatar a gravadora os reais motivos desta sua reclusão. Não sei quais argumentos usou de fato, só sei que a gravadora soltou uma nota à imprensa argumentando que o show havia sido cancelado por motivos de produção (Vide quadro anterior). Oras, problemas na produção adia e não cancela show, principalmente em se tratando de lançamento de disco. Esse cancelamento desencadearia em uma relação nada amistosa entre a artista e a gravadora, que chegou ao ponto de boicotá-la, como veremos mais adiante.


"Geraldo Loewenberg, criador da Alldisc, informou que está em negociação com a Hanna Barbera para o lançamento de histórias com os seus personagens. Uma delas já está pronta e conta uma história do Scooby-Doo na casa da cantora Fafá de Belém. O filme será produzido no Brasil e terá no elenco os mesmos atores que fazem a dublagem na TV. Só falta mesmo um acerto de valores para receber a autorização dos estúdios da Hanna Barberra" ("Folha de São Paulo Ilustrada" 07/06/1982). Nota: Acredito que não rolou o acerto, não encontrei nada mais que esta notícia.


Em junho de 1982, Fafá de Belém, Zizi Possi, Sidney Magal, Renato Terra, Raimundo Sodré, Elza Maria e Marcos Sabino participaram da gravação do compacto simples "A Galera", onde um coral de peso, cantavam "Dá-lhe Brasil" (Brasilzão) um dos hinos da Copa do Mundo de 1982. A música foi uma versão do hino oficial, cantado por Plácido Domingo, chamado "El Mundial". O Clipe foi exibido no "Fantástico", Rede Globo de Televisão, no dia 13 de junho de 1982. Assista ao vídeo:  

No dia 16 de junho de 1982, aconteceu na boate Gallery, em São Paulo, o show de lançamento do disco "Essencial". O evento foi organizado pela Polygram, onde Fafá recebeu a imprensa, amigos e convidados.

No dia 21 de junho de 1982, "Essencial" estreava no Rio de Janeiro. Fafá de Belém trocou o ambiente sofisticado do "Golden Room", pelo popular "Seis e Meia" do teatro "João Caetano".

No dia 24 de junho de 1982, estreou nos cinemas de todo o país, o filme: "Os Vagabundos Trapalhões". Fafá de Belém participou da trilha sonora com a música "Ciranda do Mar" (Renato Aragão/Wando), gravada exclusivamente para o filme. Ouça a música:

No dia 27 de junho de 1982, participou do programa "Som Brasil", transmitido pela Rede Globo e apresentado por Rolando Boldrin. Em sua participação, Fafá cantou a música "Ontem ao Luar"(Pedro Alcântara/Catulo da Paixão Cearense), gravada pela cantora em 1977 no disco "Água". Abaixo, o vídeo dessa participação, cuja qualidade é ruim, mas para nós fãs, o que vale é o registro.

De 02 a 11/07/1982 Fafá de Belém e seu show "Essencial" foi a sensação do "Cine Show Madureira" (RJ). A música "Bilhete" (Ivan Lins/Vitor Martins) ganhava força nas rádios de todo o país e como consequência, o show foi um sucesso de público.


"Estreia hoje a exposição "Shows e Camarins de Camarote" (Fotografia). Os Fotógrafos Vilma Slomp e Orlando Azevedo vem realizando um trabalho fotográfico há seis anos, enfocando o ritual do artista no camarim, nos preparativos que antecedem sua entrada em cena e no palco. Os flagrantes foram tirados de artistas como: Ney Matogrosso, Elis Regina, Rita Lee, Ray Charles, Chico Anísio, Caetano Veloso, As Frenéticas, Ângela Ro Ro, Egberto Gismonti e Fafá de Belém. Na Galeria Fiji de Fotografia". (Folha - Ilustrada - 20/07/1982) Obs.: A foto colocada aqui é meramente ilustrativa,

No dia 25/07/1982 foi ao ar pela TVE canal 2, o programa "Chão de Estrelas". O programa trazia mensalmente um grande nome da nossa música. Na data citada, foi a vez de Fafá de Belém. Fafá cantou todas as faixas do disco "Essencial" e trouxe a cantora e compositora Joyce como sua convidada especial.

No dia 25 de julho de 1982 o programa "Fantástico", Rede Globo de Televisão, exibiu a clipe de Fafá de Belém interpretando a música "Bilhete", um marco na carreira da cantora. O sucesso do clipe foi tanto, que, atendendo a pedidos, foi reprisado em 01/08/1982. Era a primeira vez na história do dominical, que um clipe era reprisado a pedido do público. Assista ao vídeo:

No dia 10 de julho de 1982, faleceu o genial Jackson do Pandeiro. A Rede Record de televisão lhe prestou uma homenagem com o especial "Show do dia 9" (uma alusão ao seu último show em Brasília, ocorrido no dia 09 de julho daquele ano). Fafá de Belém participou deste especial que foi ao ar no dia 09 de agosto de 1982. A participação foi um belo presente para Fafá que neste dia comemorava 26 anos de vida.

As eleições de 1982, realizadas no feriado da Proclamação da República, foi uma das mais importantes da história política do Brasil. Foram as primeiras eleições diretas para governador desde a instauração do regime militar - a última tinha sido 20 anos antes, em 1962. Além do voto para governador, os 58,5 milhões de eleitores de todo o País, escolheram os senadores, deputados federais, deputados estaduais, prefeitos e vereadores. Para prefeito, os paulistanos haviam votado pela última vez em 1965. Foi a partir dessa eleição que começou a se desenhar a redemocratização do país.

Fafá de Belém declarou publicamente seu apoio ao candidato ao governo de São Paulo, o senador Franco Montoro. Abaixo, as principais notícias envolvendo a cantora no mês de setembro de 1982.

No dia 11 de outubro de 1982, estreou pela Rede Globo, no horário das 20 horas, a novela "Sol de Verão". A música "Bilhete" (Ivan Lins/Victor Martins), gravada por Fafá de Belém, entra na trilha sonora da novela. A mesma música em duas novelas no mesmo ano, já que "Bilhete" também fazia parte da trilha de "O Ninho da Serpente" que havia estreado em abril deste mesmo ano.

Mesmo com o estrondoso sucesso de "Bilhete", o disco "Essencial" não alavancava nas vendas e esse fato estava completamente relacionado ao boicote da gravadora. Com o disco nas lojas, o fonograma de "Bilhete" fora liberado para a trilha de duas novelas: "Ninho da Serpente" da TV. Bandeirantes e "Sol de Verão" da Rede Globo. Ora, se a gravadora não divulgava outras músicas, ficava a impressão que "Bilhete" era a única música boa do disco e aí o público comprava os discos das novelas e não o da artista. Músicas como: "Jambo" (Juca Filho/Rodrigo Campello) ou "Cheiro Doce" (Paulo Jobim) também poderiam embalar os romances televisivos, poderiam se tornar grandes sucessos populares, mas claramente não era o que a gravadora queria.

Segundo entrevista de Fafá, concedida a Revista Playboy em abril de 1985 "Havia uma ala da gravadora, liderada por Menescal em que acreditava que a cantora deveria ser podada, e uma outra ala, liderada pelo então Diretor Comercial Heleno Oliveira que a defendia".

Na mesma entrevista, Fafá conta que: a campanha do boicote, promovida pela gravadora fora muito desonesta. Marcavam com as emissoras de rádio a divulgação do disco e que a artista estaria presente, mas não avisavam para Fafá, que acabava não comparecendo. Os profissionais das rádios, que não sabiam o que estava acontecendo nos bastidores, culpavam a cantora e a chamavam de irresponsável. Esse comportamento da gravadora era algo tão anormal, que no começo a cantora acreditou que estava havendo uma falha de comunicação entre ela e sua assessoria, mas logo percebeu que não... Abaixo,  uma apresentação de Fafá no programa "Um toque de classe", de César Camargo Mariano, na extinta TV Manchete. 

Eleições 82 em São Paulo - O que foi notícia em outubro de 1982:

Eleições 82 em São Paulo - O que foi notícia em novembro de 1982:

Mesmo com o boicote sofrido pela gravadora, "Essencial" só trouxe alegrias para Fafá. Seus shows pelo interior do país contavam sempre com casas lotadas. "Bilhete" era um grande sucesso radiofônico, aliás, aí tem algo que me intriga: porque nos programas de auditório, como podemos ver nas matérias, ela só cantava "Caso Especial"? Curioso, não é?

"Essencial" já havia sido apresentado em julho no programa "Chão de Estrelas" (TVE Canal 2), mas o final de ano foi ótimo para a cantora. No dia 15/12/1982 foi ao ar, também pela TVE o "Especial Fafá de Belém". No dia 20/12 participou, junto a outros artistas, da festa da chegado do "Papai Noel", realizado no estádio do Pacaembu, em São Paulo e no dia 31/12, pela mesma emissora, Fafá participou do "A nossa música - Especial de fim de ano", onde a cantora e vários outros artistas, faziam o seu número e deixavam uma mensagem para os telespectadores. 

Uma pausa no final de ano para curtir a filhota Mariana Belém.

Em janeiro de 1983, Fafá, junto com sua secretária Ana Sabugosa, decidiram que era preciso fazer uma turnê pelo Nordeste do país. Fafá não fazia shows naquela região desde a turnê "Banho de Cheiro". A cantora esperava também, com estes shows, alavancar as vendas de "Essencial". Comunicou a Polygram a ideia da turnê, que queria fazer shows com preços populares, mas que para isso, a gravadora precisaria bancar o custo de passagens e estadia dela e da equipe (músicos). A gravadora na ocasião não fez qualquer objeção ao projeto. Ana Sabugosa aproveitou e marcou uma série de shows, a preços reduzidos. No dia da viagem Ana Sabugosa ligou na gravadora para saber onde poderia apanhar as passagens e a gravadora respondeu: "A viagem está cancelada! ". O que fazer? Os shows já estavam marcados, não havia como cancelá-los sem que isso manchasse a imagem da cantora. Não teve jeito, Fafá teve que bancar a viagem e a estadia de todos. A citado turnê teve seu início logo após o carnaval. (Texto desenvolvido com base do depoimento da cantora a Revista Playboy em abril de 1985)

"Carnaval 1983" aconteceu de 11 a 15/02/1983. A foliã Fafá, desfilou na União da Ilha.

Assista a um pequeno trecho do desfile de Fafá, o "ataque" do Beijoqueiro e na entrevista a cantora solta o verbo no Salgueiro: "Falta de coleguismo..."

 No dia 19/02/1983 o ator Jardel Filho veio a óbito. Ele morreu em plena atividade, vítima de um ataque cardíaco em sua casa numa manhã de sábado, quando gravava os últimos vinte capítulos da novela "Sol de Verão", escrita por Manoel Carlos, na Rede Globo, fazendo com que o fim do folhetim fosse antecipado. Seu personagem Heitor saiu da trama com uma viagem repentina. A novela teria 155 capítulos, mas terminou antes do previsto, por causa da morte do ator. No velório, toda a classe artística em estado de choque. Fafá ficou inconsolável.

Apesar do boicote de sua gravadora, Fafá vivia um momento de grande visibilidade artística. Emocionalmente vivia o drama de ver sua amiga, a cantora Clara Nunes, que após sofrer um choque anafilático em uma cirurgia, padecia em um interminável estado de coma. Ao mesmo tempo a cantora brilhava nos programas de auditório. Junto a "Paulistur" (SP), contribuía com ideias socioculturais, que traria melhor qualidade de vida para a população paulistana. Participava de shows importantes, como o de solidariedade a Nicarágua e homenagem ao poeta Vinícius de Moraes.

Interessante que, quando você está predestinado a algo, o mundo todo pode ir contra você, mas o destino te oferece armas para lutar, e foi o que aconteceu com Fafá. A cantora recebeu do destino "Sereia" (Lulu Santos/Nelson Motta) e o convite para participar do antológico musical infantil "Plunct, Plact, Zum". Se "Filho Da Bahia" foi uma arma dada pelo destino à cantora para que iniciasse sua vida artística com êxito, "Sereia" foi a arma do destino para que Fafá colocasse sua carreira nos trilhos.  

 No dia 20 de março de 1983, estreou no horário das 15 horas, pela Rede Globo, o dominical "Batalha dos Astros", sob o comando do saudoso Miele. No mesmo dia, no programa "Fantástico", também na Rede Globo, foi exibido o clipe da música "Caso Especial". Assista a um trecho da estreia de "Batalha dos Astros" com a participação de Fafá de Belém:

Nota: Fafá participou das edições de "Batalha dos Astros" exibidas nos dias: 20 e 27/03, dias 03, 10, 17 e 24/04 e finalmente no dia 01/05/1983.

Na madrugada do sábado de Aleluia, 2 de abril de 1983, a poucos meses de seu 41º aniversário, a cantora Clara Nunes foi declarada morta em razão de um choque anafilático. Fafá de Belém, amiga da cantora, ficou desolada. Durante o tempo em que Clara ficou internada e em coma, Fafá foi várias vezes à clinica para obter notícias do quadro clinico da amiga. A sindicância aberta pelo Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro na época foi arquivada, o que geraria por muitos anos suspeitas sobre as causas da morte da cantora. O corpo da cantora foi velado por mais de 50 mil pessoas na quadra da escola de samba Portela. O sepultamento no Cemitério São João Batista foi acompanhado por uma multidão de fãs e amigos.


06/04/1983. Show do aniversário do terceiro ano do programa "TV Mulher", realizado no Anhembi em São Paulo. Fafá de Belém estava lá. Veja vídeo com a "chamada".

No dia 03/06/1983, foi ao ar, pela Rede Globo de Televisão o especial infantil, mas que também seduziu os adultos, "Plunct Plact Zuuum". O programa foi exibido na sexta feira no horário das 21:30 horas. Já no sábado pela manhã, uma fila nas lojas de discos para comprar o elepê enquanto que nas rádios as músicas: "Sereia" com Fafá de Belém, "Brincar de Viver" com Maria Bethânia e "Carimbador Maluco" com Raul Seixas, eram as músicas mais pedidas. Tempos depois, em 1996, "Sereia" teve sua versão "Dance Version" produzida pela Warner Chappell em um projeto de Sérgio Motta e com arranjos de Nino Carlo e Paulo Jeveaux. A produção do programa teve seu início em março de 1983. Veja abaixo as versões de "Sereia" original e a "Dance Version" na bela edição produzida pelo VJ Andy Rick:

Fafá de Belém "Sereia" - Vídeo Original (1983)

Fafá de Belém - "Sereia" - Dance Version (1996)

No dia 06 de Junho de 1983, estreou na Rede Globo, no horário das 19 horas, a novela "Guerra dos Sexos". Fafá de Belém gravou, exclusivamente para a trilha sonora da novela, a musica "Paixão" (Ivan Lins/Vitor Martins). Ouça a musica:   

Entre o final de junho e começo de julho de 1983, Fafá de Belém gravou um musical para o documentário "Jacques Cousteau na Amazônia". A música escolhida foi: "O Boto". O documentário foi lançado em VHS no ano de 1984 e foi distribuído para as TVs de 157 países. Em 1985 a Rede Globo o exibiu no programa "Globo Repórter". Assista ao musical "O Boto":



Por conta do grande sucesso de "Sereia", a agenda de shows começou a encher. Fafá estava em Salvador (BA) onde faria três apresentações na capital baiana e aí aconteceu a "gota d'água". No sábado à tarde, logo após o almoço, Fafá ligou a televisão e viu que anunciavam sua presença no Programa do Chacrinha, que era apresentado ao vivo no Rio de Janeiro e que entraria no ar dentro de uma hora. Fafá não sabia de nada e ficou doida ao ver aquela chamada. Ana Sabugosa ligou então para o gerente geral de divulgação da Polygram, Armando Pittigliani, que disse o seguinte: " Quero que vocês duas vão à PQP!".

Ao voltar da capital baiana, Fafá pediu então uma reunião com a diretoria da Polygram e em um acordo, rescindiu o seu contrato. A Som Livre, que já flertava com a cantora, pagou a multa e a contratou. (Texto desenvolvido com base em declaração da cantora para a Revista Playboy em abril de 1985).

Mesmo sem ainda ter formalizado a contratação de Fafá de Belém, a Som Livre já investia na imagem da cantora. Em nota publicada em 16/07/1983 no jornal "O Globo" na coluna de Hidegard Angel, era noticiado um clipe de "Sereia" que seria exibido no "Fantástico". Eu não lembro desse clipe e além dessa nota, não encontrei em minhas pesquisas qualquer outra sobre o fato. Enquanto isso, "Maria de Fátima Solidária" organizava um show, que aconteceu no dia 20/07/1983 na cidade de São Paulo, para ajudar as vítimas das enchentes nos estados do sul do país.

Em julho de 1983, chegava às lojas o novo disco de César Camargo Mariano "A todas as Amizades". Na última faixa do lado B do vinil, a música "Nos Bailes da Vida" (Milton Nascimento/ Fernando Brant), era cantada em coro com as participações especiais de: Cláudio Nucci, Fafá de Belém, Luiz Gonzaga Júnior, Marília Gabriela, Milton Nascimento, Nana Caymmi, Quarteto Em Cy, Renato Teixeira, Rita Lee, Roberto de Carvalho, Roupa Nova e Wando. Ouça a música no vídeo ao lado.

No dia 22/07/1983, Fafá de Belém assinou o seu contrato com a Som Livre. A mudança de gravadora colocou vários pontos finais na carreira e na cabeça da cantora. Era finalmente um ponto final do período "Banho de Cheiro", um ponto final em suas culpas em querer ser popular ou expor sua sensualidade, um ponto final nas drogas. Fafá já havia quebrado o "gesso" da cantora regional, já havia deixado as drogas, já se sentia preenchida com o imenso amor pela filha..., mas, ainda havia algumas muralhas, uma delas era a de romper com conceitos adquiridos em sua criação burguesa e isso aconteceria a partir da concepção do seu primeiro disco pela Som Livre, "Salinas".

E assim, terminamos o período "Essencial". Mas antes, é preciso destacar algo relevante: Em entrevista para Ana Maria Bahiana para o jornal "O Globo", publicada em 15/10/1983, Fafá conta que "Essencial" vendeu menos de 30 mil cópias, e questiona tal resultado. Afinal, "Bilhete" fora um dos maiores sucessos de 1982, o que de certa forma comprova o suposto boicote da gravadora para com a cantora. Bom, se houve realmente um intencional boicote, o tiro saiu pela culatra, afinal, somente a gravadora amargou o prejuízo. "Bilhete" popularizou a cantora, levando um grande público aos seus shows. A cantora foi também presença constante em programas de grande audiência da época, tais como "Globo de Ouro" e "Cassino do Chacrinha", ambos exibidos pela Rede Globo de Televisão; e teve, pela primeira vez na história do "Fantástico", o clipe de "Bilhete" sendo reprisado por conta dos inúmeros pedidos dos telespectadores. Meu amor, ela é Fafá!

Texto Narrativo: Claudinei Sampaio 

Seja um fã colaborador! Você tem uma matéria deste período e não está aqui? Faça um Scanner da matéria e envie para: contato@fafadebelemarquivo.com.br Com o assunto "Material 1982". Seu nome será citado como doador(a) do material.   

Voltar ao Topo Início Anos 1980 Trajetória