"Piano e Voz" - 2002/04 - Fatos&Fotos

<<<Voltar


Após 17 anos, Fafá de Belém passou o verão 2003 no Brasil. Havia uma vasta agenda de shows a cumprir. Aliás, 2003 foi um ano bastante intenso para a cantora.

O CD "O Canto das Águas" foi uma produção da cantora em parceria com a Secretaria de Cultura do Pará. O disco saiu pelo selo Kaiapó, pertencente a cantora e a Warner obteve apenas o direito de distribuição. Porém, a gravadora, sem a devida autorização de Fafá, lançou o CD em Portugal. Fafá não deixou barato e entrou com uma ação na justiça, na qual obteve êxito, como veremos mais adiante.

Enquanto isso, o mercado fonográfico entrava em franca decadência, pagava o preço pela sua promiscuidade financeira praticada durante anos. Nomes como: Fafá de Belém, Zizi Possi, Gal Costa, Rita Lee entre tantos outros, estavam sem gravadora, algo impensável há bem pouco tempo atrás.

Com "O Canto das Águas" Fafá se viu, pela primeira vez, na disputa do "Grammy Latino 2003". Enquanto isso tudo acontecia, Fafá com o show "Piano e Voz", trilhava as suas andanças pelo seu destino marajoara.




Fafá começou 2003 no lugar em que ela mais gosta de estar: no palco e em Belém. Em meados de janeiro, se apresentou com o show "Piano e Voz", em um evento fechado, realizado na "Estação das Docas" na Baía do Guajará.

De 06 a 15/02/2203, Fafá de Belém voltou ao Teatro Rival como seu, já consagrado show, "Piano e Voz". Trajando um top rendado, assinado por Leny Niemeyer, a cantora foi acompanhada pelo pianista João Rebouças e pelo percussionista Duarte, além da participação especial da filha, Mariana Belém.

Imprensa

Após encerrar a temporada no Teatro Rival, Fafá de Belém, já recuperada da torção que sofreu no pé durante o carnaval, se apresentou no "Mistura Fina" (RJ) entre os dias 29 e 30/03/2003. Depois seguiu para Belém, onde "Piano e Voz" foi a grande atração do "Teatro da Paz". O show ficou em cartaz na capital paraense nos dias 20 a 23/04/2003.

Show "Mistura Fina" - Imprensa

Show "Teatro da Paz" - Imprensa

Em maio de 2003 foi lançado o CD "Na Boca do Peixe" de Almir Gabriel. O CD contou com a participação de Fafá de Belém na faixa "Tudo era Mentira". Ouça:

O segundo semestre de 2003 começou de forma intensa para Fafá. Além de estar viajando por todo o país com o show "Piano e Voz", a cantora também tinha agendado participações em programas de TV. Em junho foi até Portugal, onde se apresentou na "Feira Nacional de Agricultura", realizada em Santarém.

Foi nesse período que Fafá entrou com uma ação contra a gravadora Warner por ter lançado em Portugal, sem sua autorização, o CD "O Canto Das Águas". No tribunal, a cantora foi representada pelos advogados Adriana Brasil Guimarães e Dirceu Santa Rosa, que com muita habilidade, chegaram ao acordo que Fafá queria: o ganho de causa para a cantora, daria a gravadora a obrigação de viabilizar o lançamento oficial do CD em Portugal. O local escolhido para o espetáculo foi o Coliseu de Lisboa, onde Fafá sempre sonhou em se apresentar.

No meio disso tudo, uma grata surpresa: "O Canto das Águas" foi indicado ao Grammy Latino. A premiação ocorreu no dia 03/09/2003, mas "O Canto das Águas" perdeu para, o também maravilhoso trabalho de Dominguinhos, "Chegando de Mansinho".

Fafá também gravou duas participações especiais. Com o "Trio Manari" gravou "Siriá" e para o projeto "Saudação a Clara Nunes", que no último mês de abril completara 20 anos do seu falecimento. A gravação do CD em homenagem a Clara Nunes foi produzido pela gravadora Deckdisc, que estava flertando com Fafá a possibilidade de a cantora lançar um novo disco. Mas, corre a boca pequena, que a Fafá não estava muito entusiasmada com a proposta da Deckdisc, pois a gravadora queria um disco mais voltado para o popular e a Fafá estava em outra vibe.

Revista "Ana Maria" - Número 351 - 30/06/2003

Texto: Jorge Cysne

Fotos: Leonardo Lemos

Em agosto de 2003, o Trio Manari lançou o CD "Braços da Amazônia". Fafá de Belém fez uma participação mais que especial na faixa "Siriá". Ouça:

Fafá de Belém e Moacyr Luz, foram as grandes estrelas das comemorações dos 130 anos de Vila Isabel (RJ). O Evento ocorreu no dia 19/09/2003. 

Imprensa

A sexta edição do Teleton aconteceu nos dias 3 e 4 e outubro de 2003, sendo transmitido pelo SBT. A festa foi aberta na noite de sexta-feira, com o tradicional discurso de Silvio Santos, em seguida o programa contou com a abertura da apresentadora Hebe Camargo, madrinha do Teleton. A apresentação musical de abertura, ficou por conta da cantora Fafá de Belém, que interpretou o Hino da campanha.

O Teleton 2003 contou com duas edições especiais do programa Curtindo uma Viagem comandado por Celso Portiolli. Na noite de sexta, o programa colocou frente a frente apresentadores do SBT e da Record. Representando o SBT, Carlos Alberto de Nóbrega e sua mulher, Andréa de Nóbrega, Ronald Golias, Moacyr Franco e Gorete Milagres, enfrentaram o time da Record, formado por Adriane Galisteu, Milton Neves, Otaviano Costa, Claudete Troiano e Fernanda Fernandes. Na manhã de sábado, o programa colocou frente a frente, as meninas do Rouge contra os meninos do KLB e o cantor Vavá.

Pequeno Trecho da apresentação de Fafá de Belém no Teleton 2003

Entre as atrações musicais, estavam Ivete Sangalo, Rouge, Alcione, Bruno e Marrone, Maurício Manieri, Chitãozinho & Xororó, Frank Aguiar, Sérgio Reis, Luiza Possi, Roberta Miranda, Daniela Mercury, Elba Ramalho, Guilherme e Santiago, Luciana Mello, Luka, Rick & Renner, Gian & Giovani, Moacyr Franco, Os Travessos, Edson & Hudson, Sorriso Maroto, Fábio Junior, entre outros.

O apresentador Silvio Santos trouxe o Show do Milhão Especial, com a presença do presidente da Petrobrás, José Eduardo Dutra, e convidados como Ziraldo, Deborah Colker, Daniele Hipólito, Cacá Bueno, Klever Kolberg, Teuda Bara, Carmen Luz, Meg Mourão, Rico de Souza, Guy Marcovaldi, Sergio Mamberti e Vovô Ilê Ayê.

Silvio e a Hebe tiraram um verdadeiro leite de pedra nessa edição. Silvio entrou no palco pouco depois das 22h, com o placar apontando R$6 milhões, quando a meta era de R$15 milhões. Sílvio Santos decidiu terminar o programa a 1h do domingo 5 de outubro, quando as 27 horas de programa terminariam com um cômputo de R$13,5 milhões. Silvio se demonstrou indignado pela pouca cooperação que as outras emissoras tinham com a maratona, já que esse era o terceiro ano consecutivo que somente o SBT transmitia a campanha. A meta do Teleton 2003 foi alcançada dez dias depois da maratona, na noite do dia 13 de outubro. A emissora de Silvio Santos levou ao ar um programa 'Hebe Especial' com a presença de Ivete Sangalo, Fábio Junior, Padre Marcelo Rossi e Daniel.

Fonte: Wikipédia

Em outubro de 2003, chegava ás lojas o CD "Um ser de luz - Saudação a Clara Nunes". O projeto da gravadora Deckdisc reuniu grandes nomes da nossa música para homenagear a eterna guerreira. Nesse ano de 2003, exatos 20 anos após o seu fatídico falecimento, a cantora estaria comemorando 60 anos de vida. Grandes nomes como: Fafá de Belém, Teresa Cristina, Zeca baleiro, Mônica Salmaso, Renato Braz, Elza Soares, Dona Ivone Lara, entre outros, participaram do projeto. Ouça "Sem Companhia" (Ivor Lancellotti, Paulo César Pinheiro), com Fafá de Belém:

Detalhes do CD "Um Ser de Luz - Saudação a Clara Nunes"

No dia 06/11/2003, Fafá de Belém estreou o show "O Canto das Águas". A estreia glamorosa ocorreu no Coliseu dos Recreios (Lisboa - Portugal). Nos dias 08 e 09/11 foi o espetáculo ocorreu no Casino da Póvoa de Varzim. A cantora chegou dias antes em Portugal para poder fazer a divulgação do espetáculo.

No dia 16/11/2003, ainda em Portugal, Fafá ao lado de Joanna, Sergio Reis e o Padre Antônio Maria, participaram da "Missa da Esperança" que foi realizada no Santuário de Fatima, em Portugal. Fafá, que cantou a já famosa "Ave Maria", estava muito emocionada, afinal, exatamente nesse dia, fazia 06 do falecimento de seu pai, Sr. Joaquim.

De volta ao Brasil, após o grande sucesso de "O Canto Das Águas" e as fortes emoções vividas no Santuário de Fátima, Fafá retoma a turnê "Piano E Voz". As negociações da cantora com a gravadora Deckdisc pareciam avançar. Segundo uma nota do colunista e crítico musical, Mauro Ferreira, publicada no jornal "O Dia" em 25/11/2003; Fafá havia encomendado uma música inédita ao amigo Michael Sullivan. A música iria fazer parte de seu próximo disco. Enquanto isso, "Garotas do ABC", no qual Fafá interpretou a personagem Solange, embora ainda não tivesse estreado nos cinemas, já era a sensação nos festivais de cinema.

Em novembro de 2003 chegou às lojas "Duetos", o novo trabalho de Michael Sullivan. Fafá de Belém participou com a música "Nem Morta"

Ouça:

No dia 12/12/2003, Fafá de Belém e Sandra de Sá soltaram a voz na "Lona Terra" (Guadalupe - RJ). Dessa apresentação, a música "Olhos Coloridos" foi a escolhida para integrar o CD: "Lonas Acústico", que, segundo o jornal O Globo (Veja matéria na galeria abaixo), foi lançado em março de 2004. Ouça:

Imprensa/CD

No primeiro trimestre de 2004, Fafá de Belém se dividia entre seus shows pelo interior do país e os eventos no eixo Rio/São Paulo. A cantora foi umas das atrações das comemorações dos 450 anos da capital paulista, foi a sensação da Festa promovida pela Brasil Telecom, onde foi com uma blusa transparente e causou geral.

No Carnaval 2004 do Rio, Fafá foi um dos destaques da Viradouro, cujo enredo foi sobre Nossa Senhora de Nazaré e o Círio. No Jornal "O Dia", a coluna de Mauro Ferreira, publicada em 20/01/2004, afirmava que Fafá estaria em franca negociação com a Gravadora DeckDisc.

De acordo com uma matéria da Revista "Ana Maria", publicada em 05/03/2004, Fafá lançaria um CD com seus melhores sucessos revestidos em novos arranjos. Com as comemorações dos 20 anos das "Diretas Já", o Hino Nacional Brasileiro volta a ser interpretado por Fafá em seus shows e eventos comemorativos. O primeiro trimestre termina com o lançamento do CD comemorativo "Caymmi 90 anos", onde a música "Peguei um ita no Norte" gravado por Fafá em 1993, é inserida.

Na festa da apresentação da Garota Propaganda Virtual Web, da Brasil Telecom, ocorrido no Morro da Urca em 19/01/2004; quem roubou a cena foi a "transparência" de Fafá!

"Com mais um samba-enredo revisitado, o quarto e último do desfile das escolas de samba do Rio de Janeiro, a Viradouro, penúltima escola a se exibir na Marquês de Sapucaí, conseguiu quebrar a frieza do público, ensopado por causa de uma chuva insistente.

Porém, a exemplo do que ocorreu com a Beija-Flor, a falta de durabilidade de várias alegorias praticamente impede que a agremiação de Niterói possa sonhar com a repetição de 1997, quando ganhou seu único título.

O enredo "Pediu pra Pará, parou ... Com a Viradouro eu vou pro Círio de Nazaré" foi apresentado originalmente em 1975, pela Unidos de São Carlos (hoje Estácio de Sá).

O samba voltou a funcionar na avenida e o desenvolvimento do enredo foi um dos melhores do todo o Carnaval.

À frente da bateria, a madrinha Juliana Paes deu conta do recado. Depois de um começo tímido, arriscou-se a sambar em meio às poças d'água e, erguendo insistentemente os braços, levantou a arquibancada.

Nenhuma escola abriu seu desfile este ano de maneira tão impressionante. A segunda ala da Viradouro, onde atores simulavam a procissão do Círio de Nazaré, ganhou realismo histórico funcionando debaixo de um temporal, com passistas e público entoando o refrão "Ho virgem santa, olhai por nós. Olhai por nós oh virgem santa, pois precisamos de paz".

A atriz Cássia Kiss (No abre-alas), grávida, e a cantora Fafá de Belém (No Carro "O Círio") estavam entre os ilustres da escola, onde também foi destaque o carro abre-alas com dois anjos e um ator representando Cristo pendurados por fios invisíveis.

A Viradouro reviveu ainda o velho mecanismo da relação samba X chuva. Quanto mais água cai do céu, mais garra vem da terra, nos pés e nas bocas dos integrantes.

O problema do temporal só ficou realmente grave quando houve uma interrupção de poucos segundos no som da avenida. Por um único e breve momento a escola calou. Foi o tempo de um suspiro. Logo o público começou a ritmar o desfile com palmas enquanto os integrantes seguravam na voz.

"A escola veio muito bem. O samba é ótimo. O problema do som pode ter contribuído para uma quebra na harmonia e a bateria é nota dez sem dúvida", disse Luiz Guilherme Ferreira, natural de Belém do Pará, o que o faz conterrâneo do enredo da escola. Ferreira foi presidente do bloco "Quem são eles" em Belém, tem 68 anos de idade "e 60 de samba".

Mesmo sem a grande madrinha Luma de Oliveira, a bateria da Viradouro, comandada pelo já legendário Mestre Ciça, foi um show à parte. Os músicos ajoelharam pelo menos três vezes, marca registrada de Ciça, fizeram uma pequena coreografia enquanto tocavam e não cometeram um erro sequer.

A chuva, claro, sempre prejudica o esplendor de uma escola. No caso da Viradouro, os principais efeitos foram adereços frouxos e desbotados, alegorias quebradas e algumas alas evoluindo mais lentamente do que o esperado. A chuva pode e deve ter afastado a Viradouro do título, mas não conseguiu roubar nada da emoção que o público teve ao reviver um samba clássico em ambiente tão emocional". (Fonte: Redação Terra - https://noticias.terra.com.br/interna/0,,OI271968-EI3132,00.html )

Veja abaixo como foi o desfile. No primeiro vídeo, o desfile completo. No segundo, a parte em que a Fafá aparece.

Viradouro Carnaval 2004 - Completo

Viradouro Carnaval 2004 - Trecho com Fafá de Belém

Revista "Ana Maria" - Nº 386 - 05/03/2004

Texto: Bárbara Tourinho e Celso Masson

Fotos: João Passos

Em março de 2004, a BMG lançou o CD duplo "Caymmi 90 anos". Antigas e novas gravações se alternavam na homenagem ao mestre. A música "Peguei Um Ita No Norte", que Fafá de Belém havia gravado em 1993 exclusivamente para o Songbook do compositor, foi relançada neste projeto. Ouça:

Imprensa/CD

Entre o final de março e todo o mês de abril de 2004, o povo brasileiro pode rever através de todos os veículos de comunicação, o que foi o movimento "Diretas Já". Abaixo, as principais matérias sobre o movimento. Não se esqueça que aqui neste site há um encarte especial sobre, dê uma olhada na página "DemocraciaJá" e saiba tudo sobre o movimento e sobra a participação de Fafá.




Para comemorar as mais de 500 apresentações do bem-sucedido show "Piano e Voz", Fafá de Belém reestreia no Teatro Rival BR (RJ) o show "De Volta ao Começo", encerrando assim a turnê. Além das músicas do CD, Fafá também incluiu outros grandes sucessos como por exemplo, o "Hino Nacional Brasileiro" e a "Ave Maria Brasileira" (Vicente Paiva/Jayme Redondo). O show ficou em cartaz de 29/04 a 09/05/2004.

Imprensa

No dia 21/05/2004, Fafá de Belém marcou presença e cantou o "Hino Nacional Brasileiro" no evento "Rocinha +". O movimento que pedia paz e justiça na Rocinha foi promovido pelo "Fórum dois Irmãos", criado pela associação de moradores da rocinha, e contou com o apoio da ONG "Viva Rio" e de vários artistas. O Show foi realizado não em um palco, mas em cima de uma laje.

 Imprensa

Como vimos anteriormente, na coluna de Mauro Ferreira para o jornal "O Dia", publicada em 25/11/2003, Fafá de Belém havia encomendado uma canção inédita para o amigo e compositor Michael Sullivan. No mesmo jornal, no dia 20/01/2004, Mauro Ferreira noticiou que Fafá estava em negociação com a gravadora Deckdisc. Ou seja, entendemos que Fafá estava no projeto de lançar um novo disco pela citada gravadora.

Na Revista "Ana Maria", número 386, publicada em 05/03/2004, a revista lança uma promoção em que os participantes concorreriam ao CD "O Canto das Águas". No texto que fala sobre a promoção, há um parágrafo que diz: "... A cantora que nossa homenageada nesta data especial, quer saber quais as músicas dela que você mais gosta. E não é só. Ela quer que você participe da escolha do repertório de um novo CD que ela irá lançar, recheados de grandes sucessos..."

Partindo dessas informações, fica fácil de deduzir que: Fafá estava em negociação com a gravadora Deckdisc, cujo projeto era o de relançar grandes sucessos de Fafá, com novos arranjos e que o CD contaria com uma inédita que possivelmente seria o carro chefe do lançamento.

Mas, parece que Fafá não estava assim tão entusiasmada com o projeto, que acabou sendo substituído por um projeto independente: "Tanto Mar", CD autoral, no qual a cantora interpreta Chico Buarque. O que fez a cantora mudar de ideia? É o que veremos no próximo período.

Para finalizar, deixo aqui dois momentos sensacionais de Fafá. Uma música do CD "Piano e Voz" e uma do CD "O Canto das Águas". Momentos de uma cantora brilhante, com ritmo e sotaque próprio.

"Quando eu Estiver Cantando" (Cazuza/João Rebouças)

"Amazonas Meu Rio" (P.André/Antônio C. Maranhão)

<<<Voltar

Textos narrativos: Claudinei Sampaio

Voltar ao Topo  Início  Anos 2000  Trajetória