"Fafá de Belém 83" (Salinas) - Fatos&Fotos

Com os demônios das culpas definitivamente exorcizados e de gravadora nova, Fafá de Belém daria continuidade ao seu projeto iniciado em "Essencial", que era de ser uma cantora, apenas uma cantora, sem gessos, sem estilos, sem nada que a limitasse. Uma cantora que buscava o seu próprio ritmo, sem conceitos... Era jovem, poderia gravar o que quisesse, até rock, se fosse da sua vontade. Finalmente começaria a desconstruir a sua formação burguesa, quando foi sugerido que ela gravasse uma música de Roberto Carlos, de imediato pensou "se ficaria bem para ela gravar uma música do rei", felizmente a lucidez foi mais forte e a fez perceber que, se ficasse se limitando, não chegaria ao sonhado próprio ritmo. Gravou "Você em minha vida", que foi um dos grandes sucessos do disco.

Meses antes, Fafá havia assistido na TV, um documentário a respeito do fenômeno da Pororoca e pediu então ao Milton Nascimento que compusesse uma música a respeito, para ela gravar em seu próximo disco. Quando o disco "Fafá de Belém 1983" começou a ser produzido, Fafá recebeu do Milton uma fita K7 e um bilhete dizendo que a música sobre a pororoca ficaria para uma outra ocasião e que gostaria muito que ela gravasse essa ("Menestrel das Alagoas"), Fafá gostou da música, mas ligou para o Milton Nascimento para tirar uma dúvida: "Essa música é uma homenagem ao Djavan? " Ao saber que se tratava de Teotônio Vilela, ficou muito feliz. Embora ainda não o conhecesse pessoalmente, nutria pelo senador, uma forte admiração.

Estar em uma nova gravadora enchia Fafá de entusiasmo, mas não demorou muito para a cantora constatar que não é o espaço, e sim o meio que é deficiente. Guto Graça Mello assinava a produção do disco. Guto era mega competente, mas, segundo depoimento de Fafá de Belém para a Revista Playboy (Número 117, publicada em abril de 1985), tinha sérios problemas com horários. Sabemos que os estúdios de gravação cobram o aluguel por hora; pois bem, Guto marcava a gravação para as 9:00 da manhã, mas só aparecia por volta das 14:00. Isso aconteceu várias vezes. Resultado, a verba do disco acabou e as fotos só foram possíveis porque a Fafá pagou do próprio bolso.

Fafá tinha até então, um certo preconceito com os arranjos elaborados por Lincoln Olivetti, achava-os um tanto pasteurizados. Porém, ao decidir regravar "Promessas" (Tom Jobim/Newton Mendonça), achou que para uma música antiga, um arranjo jovem e arrojado, poderia valorizar e rejuvenesce-la. Pensando assim, ela foi ter com ele. Fafá adorou o resultado e além de "Promessas". O disco teria mais quatro músicas cujos os arranjos foram assinados por ele: "Você em minha vida" da dupla Roberto e Erasmo, "Aconteceu Você" (Guilherme Arantes), "Cio" (Baby-Doll) de Celso Viáfora e Nancy Ford, "Duas" (Sueli Costa/Tite de Lemos).

Foto Fundo: Salinas por João Ramid 

Revista "Manchete" - Julho de 1983

Foto Fundo: Salinas por João Ramid 

No dia 14 de agosto de 1983, acontece na Praça do Relógio, USP - SP, O "Show da Reconstrução", cujo objetivo era o de arrecadar fundos para as vítimas das enchentes de Santa Catarina. O Show contou com a participação do Coral da USP (Foto) e com: Fafá de Belém, Paulo Vanzolini, Eduardo Gudin, Keiton e Kledir, Paulinho da Viola, Raul Seixas, Wagner Tiso, Cesar Camargo Mariano, Milton Nascimento, entre outros. (Fonte: Jornal Folha de São Paulo - 14/08/1983)

No dia 31/08/1983 foi gravado uma matéria especialmente para o "Jornal Hoje" - Rede Globo de Televisão, que foi exibida no dia 03/09/1983. Na matéria, era apresentada a música "Menestrel das Alagoas" e Fafá recebeu a ilustre visita de Teotônio Vilela e do compositor Fernando Brant (foto). Ao termino da gravação, antes de ir embora, Teotônio Vilela, bastante emocionado com a homenagem, entrega para Fafá um bilhete:

"O trabalho realizado pelo Milton Nascimento, pelo Fernando Brant e pela Fafá de Belém, nossa querida Fafá de Belém, é realmente um trabalho, uma coisa nova, no meu entender, em matéria de harmonia, de interpretação do sentimento brasileiro. Me permitam que eu ouse falar disso. É uma coisa nova que está sendo introduzida. É a voz do povo, é o lamento do povo, é o grito do povo, é a ira do povo, é a esperança do povo. É a indignação do povo sobre as coisas. A Fafá de Belém caracteriza tudo isso com suas tonalidades variadas dentro desta música. Ela dá o alto, dá o médio, dá o baixo com uma firmeza extraordinária. Não é um batuque, não é uma mazurca, não é uma valsa, não é propriamente um hino. É uma coisa inteiramente nova que está saindo. Isso que é admirável. E a Fafá de Belém comandando essa verdadeira revolução musical me deixa numa alegria extraordinária. Fico feliz com isso e te agradeço, viu Fafá? Acho que era preciso uma genialidade especial, uma genialidade musical para poder interpretar a poesia de Fernando e a música do Milton". (Teotônio Vilela)

O bilhete foi parar no encarte do disco, e não poderia ter sido diferente.

Assista a um depoimento, dado em 2014, de Fafá de Belém a respeito de sua aproximação com Teotônio Vilela:

Em setembro de 1983, Fafá de Belém gravou, exclusivamente para a trilha sonora do filme "Águia na Cabeça", do diretor Paulo Thiago, a música "Roda da Fortuna" (Paulo Thiago/Carlos Moletta).  

Em setembro de 1983, a Rede Globo de Televisão lança a campanha: "Nordestinos, o Brasil em busca de soluções". A ideia da campanha era a de arrecadar o máximo de donativos para ajudar a população nordestina que sofria, mais uma vez, com uma forte e demorada seca. No dia 19 daquele mês, toda a programação da emissora foi voltada para a causa. Os artistas contratados e outros tantos convidados deram a sua contribuição. Fafá de Belém estava lá.

No dia 19 de setembro de 1983, estreou pela Rede Globo, no horário das 22 horas, a novela "Eu Prometo". A música "Promessas" (Tom Jobim/Newton Mendonça) gravada por Fafá de Belém foi o tema de abertura da trama.

Curiosidade: Originalmente, a novela se chamaria "O Homem Perfeito", mas por conta da gravação de "Promessas" feita por Fafá, a Globo decidiu que esta música seria um bom tema de abertura, e num acordo feito com Janete Clair, autora do folhetim, mudaram o nome da trama para "Eu Prometo".

Assista a abertura de "Eu Prometo" com Fafá de Belém cantando "Promessas":

Foto Fundo: Salinas por João Ramid 

Na segunda quinzena do mês de outubro de 1983, chegava as lojas o sétimo disco da carreira de Fafá de Belém - "Fafá de Belém 1983" (Salinas), o primeiro pela Som Livre. Com a música "Menestrel das Alagoas" (Milton Nascimento/Fernando Brant) o disco começou a ser trabalhado.

"Salinas" é sem dúvidas um dos melhores discos desse período de Fafá. Com ele, a cantora mantinha o seu fiel público e conquistava o público jovem. "Menestrel das Alagoas" (Milton Nascimento/Fernando Brant), "Aconteceu Você" (Guilherme Arantes), "Você em Minha Vida" (Roberto Carlos/ Erasmo Carlos) e "Promessas" (Tom Jobim/Newton Mendonça) foram grandes sucessos radiofônicos.


"Fafá de Belém - 1983" (Salinas) - Capa

"Fafá de Belém - 1983" (Salinas) - Contracapa

Com o tempo, eu perdi um pouco o pudor de me ver como um produto. E, sou um produto sim! O que as pessoas veem em mim? Juventude, sensualidade, alegria... então é isso que vou dar as pessoas. Por que negar? Eu estava fugindo disso, reprimindo meu lado sensual, minha juventude. Afinal, tenho 27 anos, posso cantar rock também, se quiser". (Declaração de Fafá de Belém a jornalista Ana Maria Bahiana. Jornal "O Globo" - 15/10/1983.)

Encarte, Pôster, Músicas, Letras, Músicos, Ficha Técnica:

Imprensa

Single de "Menestrel das Alagoas"

Ouça "Menestrel das Alagoas", o Hino das Diretas!

Foto Fundo: Salinas por João Ramid



No dia 24 de outubro de 1983, estreou na Rede Globo, no horário das 20 horas, a Novela "Champagne". Na trilha da trama, "Aconteceu Você", música de Guilherme Arantes, gravada por Fafá de Belém. 

Foto Fundo: Salinas por João Ramid 

"Salinas" foi muito bem recebido pelo mercado. Fafá ficou bastante em evidencia. Duas músicas em trilhas de novelas, presença nos principais programas de auditório e, claro, uma agenda lotada. A cantora estava se apresentando por todo o interior do país. Foi nessa época, que por conta de ter entrado em uma enrascada que lhe gerou um processo (veja notícia no quadro abaixo), Fafá rompeu com empresários, iria administrar a sua própria carreira. Abriu então a "FB Produções Artísticas", onde contava com a colaboração da sua então secretaria, Ana Sabugosa.

Foto Fundo: Salinas por João Ramid 

A "Carta de Poços de Calda", foi como ficou conhecido o documento assinado em 18 de novembro de 1983 no "Palace Hotel", e é um dos registros mais importantes da redemocratização do Brasil. O documento conclamava a população brasileira a aderir ao movimento "Diretas Já" e teve como signatários os Governadores, Tancredo Neves, de Minas Gerais, e Franco Montoro, de São Paulo. Fafá de Belém foi uma das primeiras artistas a aderir ao movimento.

No dia 27 de novembro de 1983, Fafá de Belém participou de um quadro no programa "Os Trapalhões" onde cantou "Carta a Maceió" (Gordurinha). O quadro contava também com a participação de Zilda Cardoso, a eterna Catifunda. Assista a um pequeno trecho do programa:

Foto Fundo: Salinas por João Ramid

Foi no mês de novembro de 1983, mais precisamente no dia 27, que faleceu o Senador Teotônio Vilela. Acredito que, para que o fã da nossa querida Fafá de Belém possa compreender a genialidade do musico Milton Nascimento, do letrista Fernando Brant e da cantora Fafá de Belém, com a música "Menestrel das Alagoas", não esquecendo dos arranjadores Wagner Tiso e Roupa Nova; é importante que se saiba quem foi, quem é o Senador Teotônio Vilela e qual a sua importância na história de um país tão desmemoriado como o nosso. Assista abaixo ao pequeno documentário:

Defensor da abertura política e das eleições diretas, o Grande Personagem Teotônio Vilela foi deputado estadual, vice-governador de Alagoas, senador e vice-presidente do PMDB. Ficou conhecido pela obstinação em defesa da democracia, manifestada em sucessivas conferências e palestras por todo o país. A seguir, as notícias que marcaram a história de Fafá, nos últimos dias e no falecimento desse grande homem público. E para fechar este quadro, um depoimento de Fafá de Belém (2014) e um trecho de uma emocionante entrevista de Teotônio Vilela para para o programa "Canal Livre" (TV Bandeirantes) em 1982, um discurso atemporal.

A inauguração oficial do "Circo Mágico do Anhembi" em São Paulo, ocorreu com um show de Fafá de Belém. O show foi do dia 08 a 11/12/1983 e foi um grande sucesso de público. A TVS (Atual SBT), chegou a gravar o evento, para colocar na programação de final de ano, mas não encontrei nenhuma notícia de que esse especial realmente tenha ido ao ar. A produção do espetáculo foi da própria Fafá e de sua secretária Ana Sabugosa.

Abaixo, um áudio com um trecho do Show no "Circo Mágico" gravado pelo percussionista Theo da Cuíca, que na ocasião fazia parte da banda de Fafá de Belém.

Foto Fundo: Salinas por João Ramid

No dia 15 de dezembro de 1983, foi ao ar pela extinta TV Manchete o programa "Bar Academia - Especial Tom Jobim". O programa era apresentado pelo saudoso Walmor Chagas. A TV. Manchete produziu com exclusividade para o programa, o clipe da música "Promessas" (Tom Jobim/Newton Mendonça) com Fafá de Belém (Foto). A música era um sucesso da cantora na época e era a abertura da novela "Eu Prometo", exibida pela Rede Globo de televisão. Ouça:

Foto Fundo: Salinas por João Ramid

Abaixo, entrevista de Fafá de Belém para o caderno "Mulher" do jornal "Folha de São Paulo" publicado em 18/12/1983. Infelizmente falta a parte 3, se alguém tiver, aceitamos doações.

Foto Fundo: Salinas por João Ramid

1983 terminava e deixava um saldo altamente positivo para Fafá de Belém. Finalmente se sentia feliz como mulher, cantora, cidadã, mãe.... Sentia que estava no caminho certo para chegar ao seu próprio ritmo e isso a deixava plena, realizada. Hora de curtir um pouco mais a filhota e recarregar as forças para as fortes emoções de 1984, emoções essas que a marcariam para sempre.

Foto Fundo: Salinas por João Ramid

O mês de fevereiro de 1984 reservou para Fafá muitas alegrias: "Menestrel das Alagoas" era um grande sucesso e "Aconteceu Você" ganhava força nas rádios de todo o país. Entre um comício e outro, a cantora se apresentava nos programas de auditório. A "Banda Pirandello", pertencente ao "Spazio Pirandello" a elegeu como a "Rainha dos Artistas" do Carnaval 1984. No meio disso tudo, uma tragédia: o filho da cantora Wanderléia, de apenas um ano e meio de vida, morre afogado na piscina da casa que Wanderleia havia se mudado há uma semana.

Foto Fundo: Salinas por João Ramid 

No dia 11 de fevereiro de 1984, estreou na TV. Gazeta (SP), o programa "Perdidos na Noite", sob o comando do até então radialista Fausto Silva. Era um programa de linguagem nova e muita gente, no princípio se recusava a ir, Fafá de Belém aceitou "o desafio". No dia 10/03/1984 o jornal Folha de São Paulo publicou uma matéria sobre o programa e sobre esse jeito novo de fazer televisão. A seguir um pequeno trecho dessa matéria: "Fausto Silva anima o programa "Perdidos na Noite", são as trapalhadas mais gostosas da TV nas noites de sábado. Nada é muito programado. Existe uma certa ordem de entrada dos entrevistados e humoristas, mas Fausto Silva erra, se confunde. E é aí que está o melhor. Os entrevistados choram de rir e quando Fafá de Belém esteve no programa, não acreditou que ele fosse para o ar".

Foto Fundo: Salinas por João Ramid 

Na noite do dia 12/02/1984, Fafá de Belém com o videoclipe da música "Aconteceu Você" (Guilherme Arantes), foi uma das grandes atrações do programa "Fantástico", Rede Globo de Televisão. Assista:

Foto Fundo: Salinas por João Ramid 

No dia 19 de março de 1984, estreou no horário das 18h, pela Rede Globo de Televisão, a novela "Amor com amor se paga". A música "Você em Minha Vida" (Roberto Carlos/Erasmo Carlos), gravada por Fafá de Belém, entrou na trilha sonora da trama. Ouça a música:

Foto Fundo: Salinas por João Ramid 

No dia 30 de março de 1984 a grande atração da extinta TV. Manchete foi o programa "Bar Academia" com Milton Nascimento. Fafá de Belém fez uma participação especial com a música "Menestrel das Alagoas". O programa está disponível no Youtube, mas por conta de reivindicações da gravadora "Som Livre", a parte em que a Fafá aparece foi retirada. 

Foto Fundo: Salinas por João Ramid 

No mês de abril de 1984, Fafá se jogou de corpo e alma na campanha das diretas. Apesar de ver mais de 30 shows cancelados por conta de sua militância, a cantora não retrocedeu. Veja mais detalhes no encarte "Democracia Já". O povo brasileiro, por sua vez, aderiu à campanha das "Diretas Já". Multidões iam às ruas reivindicar os seus direitos quanto cidadãos. Fafá de Belém era a grande voz, a grande condutora dessa massa, ávida por mudanças. Na agenda dos comícios, que chegava a sua faze final da campanha, as principais capitais como: Recife, Rio de Janeiro, Porto Alegre e São Paulo se preparavam para naquele histórico mês de abril poderem gritar "Diretas Já". A Som Livre, gravadora a qual Fafá era artista contratada, lança um compacto simples com as músicas: "Menestrel das Alagoas" (Milton Nascimento/Fernando Brant), hino da campanha e "Você em Minha Vida" (Roberto Carlos/Erasmo Carlos), que acabara de entrar na trilha sonora da novela "Amor, com Amor se paga". Foi um grande sucesso de vendas!



No dia 08 de maio de 1984, a comunidade portuguesa de São Paulo, promoveu um show no Ginásio do Ibirapuera para comemorar os 10 anos da "Revolução dos Cravos". O show foi realizado sob o comando de Osmar Santos e Tânia Alves e contou com a presença de: Fafá de Belém, Toquinho, Arrigo Barnabé, Marinho da Vila, Rolando Boldrin, entre outros.

Fafá já havia decidido que não lançaria nenhum disco neste ano de 1984, pois devido às "Diretas Já" e todo o seu envolvimento político, não havia tido tempo para pensar no contexto de um novo trabalho. Porém, ainda no meio do calor das Diretas, havia escutado no rádio o Milton Nascimento cantando a música "Credo" (Milton Nascimento/Fernando Brant) e sentiu vontade de gravá-la. Coincidentemente, a Som Livre entrou em contato com a cantora para que a mesma gravasse o tema de abertura para uma minissérie que estrearia na Rede Globo, "Meu Destino é Pecar". Fafá então sugeriu gravar o tema de abertura (Volta - Lupicínio Rodrigues), e a música "Credo" e assim lançar um compacto simples, a gravadora aprovou e Fafá entrou em estúdio.

Foto Fundo: Salinas por João Ramid 


No dia 21 de maio de 1984, estreou, pela Rede Globo, no horário das 22 horas, a minissérie "Meu Destino é Pecar". Fafá de Belém, regravou, especialmente para o folhetim, a música "Volta" (Lupicínio Rodrigues), com um arranjo feito por Dori Caymmi. "Volta" era o tema de abertura da série. Assista:

Foto Fundo: Salinas por João Ramid 

No programa "Fantástico" do dia 03/06/1984, Fafá de Belém apresenta o sensualíssimo clipe da música "Você em Minha Vida" (Roberto Carlos/Erasmo Carlos). Foi um grande sucesso, a música e o vídeo. 

Foto Fundo: Salinas por João Ramid 

Em meados de junho 1984, chegou às lojas o compacto simples de Fafá de Belém com as músicas: "Credo"(Milton Nascimento/Fernando Brant) e "Volta"(Lupicínio Rodrigues), esta última, tema da série global "Meu Destino é Pecar". Ouça: 

"Credo"(Milton Nascimento/Fernando Brant) 

"Volta"(Lupicínio Rodrigues)

Foto Fundo: Salinas por João Ramid 

Foi no mês de maio, quando foi ao Ginásio do Ibirapuera em São Paulo para assistir a um show do amigo Milton Nascimento, que sugeriram a Fafá que também fizesse um show no espaço. A cantora gostou da ideia, afinal, desde que abraçara a causa da redemocratização do país, sua carreira vinha pagando um alto preço. Fora as ameaças, viu vários de seus shows agendados sendo cancelados, principalmente nas cidades governadas pelo PDS, partido da ditadura. Os contratantes alegavam que temiam represálias pelo fato da artista está lutando contra o sistema. Outro ponto, que dificultava mais as coisas, era o fato do seu trabalho seguir uma linha independente. Fafá havia se cansado de ser enganada e até roubada por empresários, já há um certo tempo que contava apenas com a ajuda da então secretária Ana Sabugosa. Se fazer um show em um espaço tão grande já metia medo, imagina fazer um show independente, seria o primeiro na história do ginásio.

Mas quem disse que o medo retrai essa leonina? Oras, se Fafá fosse de ceder a medos, sua carreira teria terminado de forma prematura, pois quando não aceitou entrar em patotas, teve que matar 10 leões por dia para poder sobreviver. Tinha umas economias e resolveu arriscar e foi nessa ocasião que pode perceber os amigos. Roberto Carlos disse que emprestaria, e emprestou, alguns equipamentos. A rádio Cidade FM concedeu a divulgação e promoções e a Rede Globo deu um jeito de vincular em sua programação as chamadas para o show. O fato de não ter empresário na jogada, fez com que os ingressos pudessem ter preços populares. O objetivo era, obviamente, ter a casa cheia no dia do espetáculo.

Um show dessa magnitude requer uma equipe de pelo menos uns 20 profissionais para que tudo corra bem. Mas nesse caso, Ana e Fafá fizeram o trabalho dos 20. Do oficio para solicitação do espaço a arrumação das cadeiras, tudo feito por elas, sozinhas...

Na carreira da nossa diva paraense nada foi fácil, e não era agora que seria. Faltavam 04 dias para o show e só havia sido vendido cerca de 30% dos ingressos. Uma tensão, um medo crescente, a ansiedade invadia a alma da cantora e de sua secretaria. Fafá então disse a Ana que precisava se concentrar para o show e que para isso precisaria se desligar da questão bilheteria. "Aconteça o que acontecer, por favor, não me fale nada! Terei que fazer o espetáculo seja para 30, 50 ou 100% da lotação da casa. Preciso me desligar, por favor, haja o que houver nessa questão, não me diga nada! ".

Ana a obedeceu, Fafá se jogou nos ensaios e o dia do show chegou. Fafá chegou ao ginásio uma hora antes do espetáculo. Estava tensa, mas Ana Sabugosa a recebeu com um enorme sorriso, deu-lhe um abraço e disse-lhe: "90% dos ingressos foram vendidos e a bilheteria ainda está atendendo o povo de última hora. Temos um público de quase 10 mil pagantes, o show já é um sucesso!" Fafá ao ouvir a notícia da secretária e amiga, entrou em um pranto convulsivo. Toda tensão, medo e ansiedade acumulados durante o período se extravasou. Feliz, fez um show maravilhoso, com 10 mil vozes cantando com ela. O momento mais emocionante do espetáculo foi quando cantou "Nos bailes da Vida" (Milton Nascimento/Fernando Brant). Na parte do "lá,lá,lá" o público cantava mais alto e finalizava com uma palma. 10 mil pessoas cantando e aplaudindo. Fafá não aguentou a emoção e chorou em cena, levando o público ao delírio! Naquela noite de 29 de junho de 1984, fora do ginásio a temperatura era de 6 graus; mas o coração da cantora estava extremamente aquecido com a presença e o carinho do seu público.

Imprensa:

Foto Fundo: Salinas por João Ramid 


No dia 29/07/1984, Fafá de Belém esteve no programa "Som Brasil" (Rede Globo). Na ocasião, cantou a música "Leilão" (Hekel Tavares/Joracy Camargo).A canção foi gravada por ela em seu disco "Água", lançado em 1977.

Nos dias 10, 11 e 12 de agosto de 1984, Fafá repete no ginásio do Ibirapuera em São Paulo, o sucesso do mesmo show apresentado em 29 de junho. Ginásio lotado e muita emoção envolvida. 

Imprensa:

Foto Fundo: Salinas por João Ramid 


No dia 08 de outubro de 1984, estreou pela Rede Globo, a minissérie "Rabo de Saia". A música "Xamêgo" (Luiz Gonzaga/Miguel Lima), gravada por Fafá de Belém no disco "Tamba-Tajá" (1976), foi o tema de abertura da série. Assista:

Em outubro de 1984, chegava às lojas o novo disco do saudoso Nelson Gonçalves: "Ele e Elas", no qual contava com a participação de grandes cantoras, entre elas, Fafá de Belém, que cantou com Nelson a música "O negócio é Amar" (Dolores Duran/Carlos Lyra). 

Imprensa/Capa/Encarte/Fotos/Ficha Técnica

Assista ao vídeo que foi exibido pelo "Fantástico": 

Fafá foi convidada para participar, em Montevidéu, do início da campanha pala anistia total dos cerca de 700 presos políticos no Uruguai. Iria apresentar um show no "Estádio Platense Patin Club" no dia 01/11/1984. O show seria promovido pelo "Comitê de Amigos e Familiares de Presos Políticos Uruguaios". Os promotores da campanha, consideravam Fafá "uma representante da atual mobilização do povo brasileiro". Porém, as coisas não saíram conforme planejadas. Sem nenhuma explicação o show foi proibido pelo governo uruguaio, os organizadores desapareceram e tanto a artista, quanto a sua equipe, ficaram presos no hotel que estava cercado de policiais. Foi necessário acionar o consulado brasileiro em Montevidéu, para que a cantora e sua equipe pudessem ser liberados. Veja as principais notícias sobre os momentos de terror vividos por Fafá de Belém e sua equipe.

Após voltar ao Brasil e recuperar-se do susto passado em Montevidéu, Fafá retoma a já vitoriosa campanha do presidenciável Tancredo Neves. Saiba mais em "Democracia Já".

O paulista Cláudio Bertrami é considerado um dos pioneiros no baixo fretless (sem trastes) e Picolo (escala curta com cordas finas afinadas uma oitava acima do normal) no Brasil. Cláudio possuía um estilo próprio de executar música brasileira com swing e precisão no baixo sem trastes. Acometido por um derrame que paralisou seu lado esquerdo integralmente em 1984, Cláudio dedicou-se ao desenvolvimento de métodos de ensino e lecionou até falecer em 2002 na cidade de Tatuí (SP) onde residia com a família. Ficam como legado seus discos, principalmente os raríssimos discos com o grupo Medusa "Medusa" e "Ferrovias".



No dia 27/12/1984, vítima de uma crise renal aguda e de um esgotamento físico, Fafá de Belém se internou no Hospital Santa Cruz, em São Paulo.  

Foto Fundo: Salinas por João Ramid 

1984 foi um ano intenso para Fafá de Belém. Comícios pelas "Diretas Já", derrota das diretas, campanha presidencial de Tancredo Neves, Shows, programas de TV, shows cancelados, telefonemas anônimos e ameaçadores... Não foi fácil sobreviver a tudo isso. Mas certamente valeu à pena.

Com a vitória de Tancredo Neves garantida, Fafá percebeu que havia chegado a hora de se desconectar um pouco. Precisava se recuperar da crise renal, curtir a filhota Mariana e principalmente pensar como seria o seu novo disco. Havia pago e ainda pagava um alto preço por ter exercido o seu papel de cidadã.

A caminhada pela redemocratização, veja o encarte "Democracia Já", não lhe fora nada fácil. Foi chamada também de oportunista, logo ela, que subiu aos palanques sem receber um único centavo sequer! Mas ela e o país estavam felizes e esperançosos. Acreditávamos que a democracia finalmente abriria suas asas sobre nós, porém, com o tempo, percebemos que haviam muito mais pessoas com sede de saquear o país do que de desenvolvê-lo. Mas naquele momento acreditávamos que estávamos migrando para o primeiro mundo, onde a liberdade pudesse ser plenamente exercida. Onde não havíamos mais de chorar por nossos familiares, amigos, ídolos e "de tanta gente que partiu num rabo de foguete". 1985 reservava muitas surpresas para Fafá, algumas ótimas, outras nem tão agradáveis assim. Mas tanto ela quanto o povo brasileiro, sobreviveriam. Cheios de marcas, é certo, mas cheios de esperança também.

E para encerrar esse período, nada melhor que a linda melodia de "Peixinho", com letra, música, arranjo e regência de Sérgio Sá e belíssima interpretação de Fafá de Belém.

Foto Fundo: Salinas por João Ramid 

Texto Narrativo: Claudinei Sampaio

Seja um fã colaborador! Você tem uma matéria deste período e não está aqui? Faça um Scanner da matéria e envie para: contato@fafadebelemarquivo.com.br  Com o assunto "Material 1983". Seu nome será citado como doador(a) do material.     

Voltar ao Topo - Início - Anos 1980 - Trajetória